Viver o aqui e agora

momento-presenteO estresse e a depressão vêm laçando, ano após ano, com seus tentáculos, milhares de pessoas ao redor do globo. Tal coisa acontece devido a vários fatores. Um deles está relacionado à insistência humana em viver a vida com a cabeça nas nuvens. Dificilmente estamos concentrados no momento presente, ora estamos a todo vapor no passado, ora em devaneios com relação ao futuro.

Várias tradições religiosas enfatizam a necessidade de focar nossos pensamentos e ações no momento presente, mas na prática, poucos de nós tentam viver isso. Como cristão tentarei abordar o assunto a partir dessa perspectiva, utilizando duas passagens bíblicas bastante conhecidas, uma proferida por Jesus e outra por Paulo.

Jesus certa vez deixou isso bem claro aos seus discípulos, dizendo: “não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal” [Mateus 6:34]. O apóstolo Paulo, por sua vez, completou o raciocínio dizendo: “esquecendo-me das coisas que ficaram para trás, prossigo para o alvo” [Filipenses 3:13-14].

Esses dois versículos sintetizam o pensamento cristão sobre o viver bem. Para que possamos viver bem precisamos aprender a esquecer o passado, principalmente no que tange a pensamentos recorrentes de apego, saudosismo, remorso, ódio e decepção. Todos esses pensamentos só produzem sentimentos que nos intoxicam. O mais interessante é que se deixarmos que eles nos dominem, cada vez mais fica difícil de se ver livre, pois são viciantes. Tais sentimentos, por sua vez, nos conduzem normalmente a estados depressivos que nos isolam dos outros.

Como dito anteriormente, quando não estamos remoendo coisas do passado, estamos nos iludindo com futuros que ainda não existem. A proposta de Jesus é não se preocupar com o futuro, pois ele não está sob nosso domínio e, como consequência, nos tornamos ansiosos, ficamos estressados e demasiadamente preocupados. Veja que todos esses sentimentos surgem em nossa vida, sem que nada de concreto ocorra. Tudo isso acontece simplesmente porque nos deixamos dominar por algo que ainda não aconteceu e que talvez nem ocorra.

Vale ressaltar que, em alguns casos, podemos aprender com o passado e em outros, com base em técnicas de gestão, podemos planejar o futuro, mas só isso, nada mais nada menos. Quando sentimentos de qualquer natureza dominam e colocam a razão de lado, tais exercícios perdem sua validade.

O melhor mesmo é seguir o caminho do Mestre, ou seja: contentar-nos com o mal [Mateus 6:34] ou o bem [Mateus 6:11] de cada dia. Precisamos encarar tanto as coisas boas ou ruins de nosso dia-a-dia assim como são: coisas boas ou ruins que, inevitavelmente, surgirão em nossas vidas. Só aceitaremos as coisas como são sem revoltas ou comodismo se aprendermos a viver no aqui e agora, experimentando cada sentimento, cada momento, cada situação, ou seja, vivendo a vida do jeito que ela é, sem ilusões e ressentimentos.

Para isso, é crucial aprendermos a apreciar o silêncio, pois somente ele é capaz de colocar ordem no caos que são os pensamentos humanos. Só quando silenciamos podemos escutar a voz do Mestre. Só o silêncio acalma a mente e o coração. Só o silêncio nos leva a Deus e à verdadeira paz. Só o silêncio consegue nos deixar no momento presente. O Senhor conhece nossos pensamentos e sabe que são fúteis [Salmo 94.11], só o silêncio pode nos unir a Ele, pois só dessa forma saberemos o que Ele realmente quer de nós, seja lá o que isso for…

É isso, um abraço e fiquem na paz!

Anúncios

10 opiniões sobre “Viver o aqui e agora

  1. Adorei. Revejo-me em cada palavra, sinto um apego ao que já passou e uma ansiedade em relação ao futuro pois quero controlar o que não é controlável.
    Vou procurar no silêncio as respostas que preciso para viver uma vida mais leve e sem pressas. Obrigada

  2. Muito legal esse post! Passo por esse mau a todo o momento… Muito raramente consigo me concentrar apenas no momento presente e isso me trás muita angustia e preocupação. Ainda estou procurando maneiras de focar nas coisas. Se tiver alguma dica… Agradecerei =)

    • Olá, que bom que gostou do post. Creio que devem existir várias formas de se acalmar a mente e encontrar o silêncio, como por exemplo a oração e a contemplação, que me ajudam muito, mas, no meu caso, o que funcionou também foi a meditação. Utilizo a meditação como um instrumento de saúde complementar tal como foi proposta pelo médico brasileiro Roberto Cardoso em seu livro “Medicina e Meditação” (Editora MG)(acesse http://goo.gl/cr8Th ou http://goo.gl/hP1WI para se aprofundar). Ele nos ensina meditação destituída de qualquer elemento religioso budista, ou seja, sem a necessidade de praticarmos os elementos constitutivos do budismo, o que muitos médicos (no mundo todo) tem feito é transformar a meditação em um procedimento operacional prático com vistas à saúde pública, visto os enormes benefícios da meditação comprovados cientificamente. Infelizmente não tenho como te ensinar a meditação por aqui, mas se ler o material do Ricardo Cardoso terá um início bastante promissor e com o tempo e paciência perceberá claramente os benefícios dessa maravilhosa prática.

      • Pra falar a verdade não, nunca pensei nisso (rsrs). Gosto apenas de compartilhar as “tempestades em meu copo d’água”, pois sei que, de alguma forma, acaba ajudando os demais. Valeu obrigado. Abraço.

O que você achou do artigo? Deixe sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s