Entretenimento de fuga

Um dos gastos mais mascarados que temos são aqueles relacionados com o entretenimento de fuga. Esses gastos variam de pessoa para pessoa e dependem, em grande parte, do sentimento de realização que a pessoa tem com aquilo que faz para ganhar a vida (ou ganhar a morte).

Entretenimento de fuga pode ser definido como qualquer bem ou serviço que adquirimos com o intuito de compensar o esforço que temos que fazer para sobreviver ao nosso emprego remunerado. Essa compensação tem o objetivo de nos descontrair e desestressar após determinado período de trabalho.

Vamos a alguns exemplos: bebidas, drogas, cinema, TV, videogames, baladas, viagens para praia, academias, compras no shopping, a sexta-feira e o final de semana. Todos os gastos relacionados a essas coisas, quando utilizados exclusivamente com o intuito de aliviar a pressão do dia a dia, demonstram claramente que o estilo de vida que estamos adotando tem algum problema.

Certa vez, um amigo, o Anderson, publicou em seu twitter uma constatação cruel dessa situação, veja o que ele disse: “não gosto dessa adoração toda a sexta-feira. Viver 5 dias sofrendo, esperando o final de semana é muito pouco, quero ser feliz …” . Pois bem, essa é a realidade de milhares de pessoas, ou seja, vivem sofrendo no trabalho que escolheram para ter uma remuneração e aguardam ansiosamente a sexta-feira ou o final do dia, para aí sim, serem felizes e realizados. Sendo que essa felicidade e realização temporária é dependente de coisas como um videogame (que precisa ser comprado, inclusive os jogos), viagens sem planejamento (geralmente caras), bebidas e baladas (mais dinheiro), etc.

Se de fato, o que fizéssemos em nosso trabalho fosse gratificante ou o encarássemos como algo temporário e passageiro, não necessitaríamos fugir de nada! Evitaríamos gastos desnecessários para descomprimir toda a chateação e estresse relacionados ao trabalho. O problema é que os entretenimentos de fuga tornam o nosso custo de vida mais caro e, pior, não resolvem o problema.

Uma vida satisfatória e que nos confira sentimentos de realização não necessita da aquisição de tantos bens e serviços. Isso não quer dizer que você não pode ter ou fazer tais coisas, a questão é outra. Por exemplo, se, para você, ir à praia faz parte de um passeio agradável onde poderá desfrutar do convívio com os amigos e familiares, tudo bem. Agora, se o propósito é esquecer o trabalho, a coisa é bem diferente, pois sempre precisará de novas desculpas para isso e gastará cada vez mais. O mesmo não ocorre, necessariamente, com o convívio com amigos e familiares, pois para desfrutar disso não precisamos gastar.

Para concluir, gostaria de fazer uma citação do Dalai Lama que tem tudo a ver com o que disse acima e resume o espírito desse artigo: “Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro. E vivem como se nunca fossem morrer… e morrem como se nunca tivessem vivido”.

É isso, um abraço e fiquem na paz!

*Imagem: “cortesia de imagerymajestic  / FreeDigitalPhotos.net”

Anúncios

2 opiniões sobre “Entretenimento de fuga

  1. Nossa, esse artigo me quebrou no meio. Me identifiquei totalmente nessa adoração pelos fds, pelos gastos com bebida, jantares e saídas caras. Não q eu deteste minha profissão, longe disso. Mas como sou muito desorganizada sempre estou com urgências pra resolver ate altas horas da noite. Isso me gera um stress tremendo e um cansaço animal. Ai quando chega o fds eu quero relaxar a qualquer custo, alem de querer me recompensar por trabalhar tanto. Isso resulta em custos altíssimos com lazer. E mais triste: acaba q eu nem me divirto tanto, nenhum desses gastos gera uma experiencia marcante. =(

    • Fernanda, você falou uma grande verdade, quando disse que a falta de organização produz estresse, pois produz mesmo. Nunca fui uma pessoa totalmente desorganizada, mas passei por longos períodos de desorganização que me fizeram mal. Depois que adotei o GTD, muitas coisas melhoraram… Outra dica que acho interessante seria se você consegui contabilizar o quanto gasta com esse tipo de entretenimento. Registre por um mês, por exemplo…. E depois faça um propósito de tentar gastar essa quantia em algo diferente e que traga mais satisfação…. Isso pode ser uma experiência interessante… Obrigado por compartilhar sua experiência e um abração!

O que você achou do artigo? Deixe sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s